Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Mundial 2000 – O tabu

Mundial 2000 – O tabu

Roberto Carlos abriu a boca pra dizer o que todo mundo sabe mas tem “medo” de falar. É um tanto quanto “burrice” se indispor com uma torcida tão forte e grande quanto a do Corinthians e por isso poucos dão o real valor ao Mundial de 2000.

Ninguém pode culpar o Corinthians, menos ainda tentar tirar o mérito do título. Mas é fato, um tanto quanto incontestável, que aquele “mundial” não tem o mesmo peso do mundial que o Timão ainda busca ganhar.

As coisas precisam ser separadas e, mesmo sabendo que o torcedor não conseguirá fazer isso, é papel da imprensa se isentar e analisar friamente.

Aquele mundial, organizado pela FIFA como EXPERIENCIA, nunca teve e nem terá o mesmo peso do mundial disputado todos os anos em dezembro, onde os campeões continentais se reunem com critérios claros e definidos para o vencedor ser eleito o melhor do planeta.

O Corinthians foi convidado, assim como o Vasco, porque era fundamental (na cabeça da FIFA) que as sedes tivessem representantes. Por isso excluiram o campeão da América, o Palmeiras, em troca da audiência que daria o Corinthians, também legítimo campeão nacional em 1998.

Os europeus vieram obrigados e vieram passar férias. Quando disse isso aqui ha 2 anos centenas de corintianos disseram que era uma “invenção”. Mas não, e lamento que não seja. Gostaria de ter visto os caras com força total aqui. A FIFA os ameaçou sob pena de multa, por isso vieram.

Tira o mérito do Corinthians? Claro que não!

Ele foi convidado como campeão do país sede, entrou, jogou e ganhou. O Corinthians não tem absolutamente nada a ver com a má organização do evento e sua falta de critérios.

Pelo contrário, foi lá e fez o dele.

O que é chato dizer, e é um tabu meio bobo na mídia, é colocar o mundial de 2000 em seu devido lugar: O de experiencia.

Não houve confronto entre campeão da América e campeão da Europa. Não houve lógica, houve um torneio parecido com aqueles da década de 50 onde chamavam times de nome pra fazer um torneio e chamar de mundial.

Aí vem a pergunta: O Corinthians é campeão mundial?!

Sim, claro que é.

E outra: O Corinthians é campeão DO MUNDIAL?

Não, ele ganhou um torneio isolado e único. Não aquele que todos sonham em buscar.

Isso fere os corintianos e é natural. Ninguém quer ler alguém dizer que seu time tem um título que não é tão importante quanto parece. Ninguém, porém, vai tirar do torcedor alvi negro a alegria e a emoção vivida naquele dia, o que valida mais de 80% do torneio por si só.

Roberto Carlos arrumará problemas com a fiel, obviamente. Mas ele não mentiu. Disse o que todo mundo do meio esportivo sabe, mas por diversos motivos evita comentar.

Pergunte ao Tevez, ídolo alvi-negro, se ele acha que em 2000 o campeão mundial foi o Corinthians ou o Boca dele, que levou a América pra ir buscar em Tóquio o caneco? A resposta é natural, e ele só não vai dizer pra não quebrar o famoso tabu do mundial 2000.

Há que se diferenciar as coisas. Uma coisa é a falta de critérios do torneio e o fato dele ter sido disputado por 2 clubes que levaram a sério, sendo ambos “convidados” e que não deviam estar lá pela lógica adotada antes e depois de 2000, o que só confirma ter sido um equivoco o formato em questão.

Outra coisa é o Corinthians. Este lá esteve, fez o seu e ganhou.

São duas criticas diferentes. A um, o clube, elogios pela conquista. A outros, organizadores do torneio, a critica por ter sido algo mal feito e sem critério algum.

O Tabu do Mundial de 2000 foi desfeito. E quem diria… por um corintiano.

abs,
RicaPerrone