Home » Futebol » Missão impossível?

Missão impossível?

Novamente um grande jogador brasileiro é cogitado para voltar. Como muitos, parece ter enjoado da vida na Europa e quer voltar pra casa, pois dinheiro não é tudo. Sente falta dos amigos, do churrasco, do pagode. É natural, quase todo brasileiro se sente assim lá fora.

O Flamengo e outros 200 clubes sondam Ronaldinho. Os cariocas mais fortes na briga, pois já tiveram um “ok” do jogador sobre a vontade de retornar.

O que não impede que amanhã ele vá jogar em outro, pois o que importa é a proposta final e “amor a camisa” é história pra contar pros netos, não pra tentarmos assistir de novo.

Ronaldinho é um jogador fantástico. Porém, altamente imprevisivel dentro e fora do campo.

Pode arrebentar, pode sumir. Pode brilhar, pode se acovardar.

Pipoqueiro de marca maior, costuma sumir quando a coisa aperta. É uma de suas marcas. Obviamente que num campeonato de pontos corridos isso não fará a menor diferença, pois neste caso não existe “bicho pegando”.

Clubes brasileiros tentam contratá-lo, com toda razão. Afinal, é um gênio da bola, uma jogada de marketing enorme, e que me recuso a ver como “gasto”, mas sim como investimento de alto retorno e não prejuizo.

No Brasil, jogador é gasto. O Corinthians mudou isso com Ronaldo, e agora muitos já buscam algo parecido.

Ronaldinho tem 30 anos. Já não atua pela seleção, em seu clube é um jogador de bom nível e mais nada. Há 4 anos não consegue fazer grande coisa, e sequer está na sua seleção, com justiça, diga-se.

Contratá-lo seria fantástico pra qualquer clube. Pelo marketing, pelo jogador que é, por tudo que representa.

Mas não concordo que seja “um sonho”. Pois sonho era ter o Ronaldo por aqui, o Romário em 95, e eles se realizaram.

Não há nada de “sonho” em buscar um jogador com contrato curto na Europa, que ganha bem, joga pouco há alguns anos, tem 30 anos, não está nem ai pra nada e dificilmente vai a Copa de 2014 com 34.

Um clube brasileiro faria melhor pro Ronaldinho do que ele pro clube.

Voltaria a seleção, jogaria uma Copa América, seria ídolo, astro principal de um campeonato, chamaria público, etc, etc, etc.

Seu salário pode ser astronomico, mas se tratado como investimento e não gasto, nem é tão alto assim. É o que fazem os bons marketeiros da Nike, da Adidas, de alguns clubes europeus. Transformam seu produto em marca e vendem como água.

Tá na hora de aprendermos.

Se Ronaldo, com 31 anos, voltou ao Brasil, nada impede que Ronaldinho, com 30, faça o mesmo.

Dirão: “Mas o Ronaldo está fora de forma”. Sim, e é bem mais justificavel a sua má fase pela forma do que a do Gaúcho, que não se justifica em nada.

Ronaldo é um dos 5 melhores jogadores que o planeta viu, talvez, em todos os tempos. E aqui está.

Ronaldinho é menos do que o Ronaldo como marca. Hoje e sempre.

É possível SIM buscá-lo e vê-lo jogando no Brasileirão.

Tão possível quanto fantástico.

E assim será. Tenho fé e faço votos.

O nosso futebol, notem, é o único na América do Sul que cresce ao invés de cair. É um mercado em alta, e que será, em breve, uma segunda potência mundial, perdendo só pra Europa, não mais pra times turcos, arabes e não sei das quantas.

A vinda dele ajudaria neste sentido também.

Não há “missão impossível”. Apenas um projeto de trazer um craque. Nada além disso.

abs,
RicaPerrone