Home » Futebol » Clubes » Flamengo » Kleberson, o perdido

Kleberson, o perdido

Jogador de Copa do mundo, novamente na lista recente da seleção brasileira, caro, cheio de moral e sem dúvida com boa qualidade. Hoje, o mais questionado dos rubro-negros.

Kleberson é um caso a ser analisado com calma, pois é no mínimo estranho alguns imaginarem “corpo mole” para um jogador que tem chances de ir a outra Copa, há 3 meses dela. Por outro lado, seu desempenho é realmente ruim na temporada.

Mas, tudo tem um motivo. Vamos tentar achá-lo.

Primeiro é bom registrar uma coisa: As vezes, e não é raro, um jogador não consegue fazer seu trabalho porque tem algum problema pessoal. E isso não é da minha conta, nem da sua. E também não estou insinuando que esteja acontecendo. Só um registro para que nunca se esqueçam que, muitas vezes, procuramos motivos técnicos e táticos quando na verdade foi uma briga com a esposa. rs

Aparentemente, Kleberson vive 3 problemas.

1- Tático
2- Confiança
3- Técnico, consequencia do anterior.

A parte tática é simples, e já citei outro dia. Com Pet, o Flamengo pega a bola e sai jogando. Sem Pet, pega a bola e corre loucamente pro ataque, pelos alas ou pelo lançamento pro Adriano. Assim sendo, o jogador que tem a função de recolher da defesa e dar o primeiro passe pra armar um ataque, morre no jogo.

É o que acontece com Kleberson. Não é um puta marcador, mas é um bom passador. Erra passes, porque quando recebe, tenta fazer o que o time faz hoje: Enfiar pra alguém já tentando o lance mais agudo. Essa bola passando direto da defesa pro ataque, ou indo em velocidade pelas alas, deixa o Kleberson sem função.

“Ah, mas então porque o Andrade não tira?”.

Quem sou eu pra dizer, mas arrisco que seja por não abrir mão da experiencia dele na Libertadores. É mais fácil ter o Kleberson e terminar com 11 do que Willians e Toró, que são muito mais participativos no jogo, porém, nada confiáveis ainda na parte emocional.

Aí vem a confiança, que no futebol é muito relevante.

O cara não acerta, está perdido no campo, vendo sua vaga na Copa ir pro saco, a torcida cobrando… erra tudo mesmo! Não é um sujeito marrentão que quando mais cobrado mais joga pra calar a boca dos outros. É um cara na dele, que possivelmente se enfraqueça com criticas.

E nisso, a parte técnica vai pro saco. O passe de 3 metros se torna de 30, e cada errinho ele ouve aquele “ahhhhhhhh” da torcida de fundo.

Bola de neve. Kleberson vive, hoje, o que Juan viveu em parte de 2009. O medo de errar, que tira a vontade de acertar.

Digo e repito: Enquanto o Flamengo não tiver um jogador no meio que volte a fazer o time PARAR a bola e criar as jogadas, não terá função pro Kleberson.

O time está acelerado e confiando 100% no talento dos 2 atacantes, que de fato são acima da média.

Mas, como já disse outro dia, quanto mais rápido você liga a defesa ao ataque, maior a chance de devolver a bola pro adversário. E ao insistir nisso toda jogada, o Flamengo se torna perigoso, porém, dependente de um dia bom de Adriano ou Love.

Ramon? Pet? Não sei.

Mas com Juan, Leo e Pacheco fazendo a saida de bola, o Kleberson se torna um fusca no meio de uma corrida de F-1.

Com Pet e Ramon, o jogo cadenciado, talvez ele se torne um Stock Car dentro de uma corrida de Stock Car.

Eu tiraria uns 2 jogos pra aliviar a pressão. Mas, se fizer, também reclamarão que Toró, Willians e Maldonado é muito defensivo.

Então, entendo o Andrade.

abs,
RicaPerrone