Home » + Chamada » Justiça, coerência e paz

Justiça, coerência e paz

Caro alvinegro em sua noite do terror,

Imagino que não será fácil dormir. Entendo toda dor de uma eliminação sem perder e contra um time que foi duas vezes ao ataque e fez 2 gols.  Mas entendo que o mais importante desta derrota é a reação de vocês.

Não importa o que a mídia dirá amanhã cedo. Teremos aquele circo em alguns programas, outros tentando achar um vilão, outros destruindo a carreira do André. Seja como for, volte no tempo 6 meses.

Se alguém dissesse a você que vendendo todos os jogadores do time e mantendo apenas o Elias dos chamado “acima da média”, contando com um time de André, Marquinhos, Rodriguinho, enfim, nomes sem a menor expressão no futebol ainda, você pensaria em Libertadores?

Não. Em fevereiro, quando começou, o Corinthians era carta fora do baralho. As coisas caminharam, o time jogou acima do que podia tecnicamente, e por isso houve uma inversão de valores curiosa. Na véspera de um Corinthians x Nacional, que é um time muito grande, notamos o resultado ser tratado como “obrigação” e uma derrota como “surpresa”.

Senhores, sei que falo para uma das mais doentes torcidas do mundo e pedir par raciocinar em cima da dor é uma covardia, mas olha a escalação desse time, o futebol que ele joga, onde ele chegou sem perder e me diga que isso não é um grande resultado?

Esquecemos durante o período, mas o Corinthians não tem um bom time. Está formando e com peças mediocres, comuns.  Espera-se de um time comum resultados comuns.

Se na próxima semana você, corintiano, deixar a Arena, estará dizendo que concorda que futebol é resultado e nada mais.  Estará virando as costas pro fato incontestável de que um time bastante limitado chegou ao seu limite, mas que foi até onde podia ter ido.

Não faltou luta nem trabalho. Faltou qualidade. E se ainda tenho algum bom senso, ele diz que o Corinthians está com muito mais crédito com vocês do que devendo algo.

abs,
RicaPerrone

Comentários