Home » Futebol » Clubes » Fluminense » Invertendo valores

Invertendo valores

Eu tento, juro, mas não consigo entender. O Muricy assina com o Fluminense, onde ganhará uma bala, e tenho que ler e ouvir jornalistas de SP dizendo que “o Muricy é muito pro Flu”, como se tratasse de um clube pequeno, ou com se um mero profissional pudesse estar acima de um clube.

Fico mais pasmo ainda quando vejo comparações das estruturas, insinuando que o pobre Muricy só pode trabalhar com uma estrutura europeia. Os outros, não. Estes são comuns. O Muricy tem prioridade.

O Fluminense não tem a estrutura do SP, óbvio. Mas, quantos grandes clubes tem?

Confirma-se a tese da “molezinha” criada pelo proprio treinador, que a mídia engoliu. Muricy pede elenco, estrutura, meia, zagueiros, atacantes, calendário, e assim ele ganha.

Meu chapa, eu também ganho assim, viu?

O duro é ir lá e conquistar sem ter a faca e o queijo, coisa que é pra poucos.  O Corinthians, desestruturado em outros tempos, conquistou tudo, e nem por isso alguém ficou citando as dificuldades do Luxemburgo lá.

O Santos, idem. Até outro dia não tinha muita estrutura, e ganhando tudo, ninguém foi chamar o Leão e o Luxa de milagres da natureza.

Agora o pobre Muricy terá um CT menor que do SP, tadinho.

Puta exagero.

Como se o Fluminense fosse uma “decadencia” na carreira do sujeito, como se ele fosse top demais pro Flu. Absurdo, patético.

O Fluminense é time grande, merece qualquer treinador do mundo que escolher e puder pagar.

Eu custo a entender o que o Muricy fez a alguns jornalistas para tamanha adoração. Aliás, desconfio. Mas só desconfio.

Foi o carinha que bateu de frente com o Luxa, logo, o que agradou a maioria.

Como técnico, bom. Apenas isso.

Como profissional em sua postura, mediocre, pois não se posta, não respeita ninguém e não tem o menor preparo para a proporção que tomou.

E a mídia agora insinua que o Fluzão é “pouco” pro Muricy.

Faça-me o favor…

O cara dirigiu Nautico, Sao Caetano e nego vem encher o saco com o Flu?

Tá é sobrando camisa pra ele, isso sim. Como sobra pra qualquer profissional que consiga o privilégio de dirigir qualquer clube grande do país.

O jogador, o técnico e o dirigente não podem, jamais, estar acima do clube. Isso não existe.

abs,
RicaPerrone