Home » Futebol » “Imortal” sim senhor!

“Imortal” sim senhor!

Outro dia eu falei aqui que o Grêmio era um time insuportável de se encarar num mata-mata, que era um dos mais respeitaveis clubes do mundo neste tipo de campeonato, que fazia com enorme competencia sua fama de “imortal” e um monte de gente veio dizer, como sempre dizem, que é apenas “lenda de mídia”.

Como dizem ser lenda a torcida do Fla, do Corinthians, o envolvimento do SP com a Libertadores, enfim, meros recalques.

Ontem, de novo, quase como sempre, o tal “imortal” deu as caras. Não vi ao vivo, e fui deitar as 2 da manhã com o vt começando na Sportv. Assisti enquanto arrumava pra dormir, e não consegui parar.

Sabendo do resultado, eu me perguntava, quando já estava 2×0 e o Tricolor perdia o penalti: “De onde diabos esse time tirou força pra virar isso?!!?”

Eu tinha que ver. Eu tinha que acreditar. Não era possível que encarando o melhor time do país na atualidade, abrindo contra-ataque pros caras, perdendo penalti, assustado, de cabeça baixa pela situação, o Grêmio ia reagir.

E eu, tolo, quando pensava em reação pensava em empate.

Tem gente que não aprende mesmo.  rs

Era o Grêmio, no Olímpico, numa decisão. E como sempre digo: Isso basta.

Não importa o time, o elenco, a fase. É o Grêmio, é casca.

Eram 12 do segundo tempo, o Grêmio corria muito, criava, mas não acertava. Toda vez que o Santos tinha a bola era um “deus nos acuda”, e nada poderia justificar a expectativa daquela torcida em ver algo que não fosse apenas “remédio” pro fracasso.

Mas… era o Grêmio.

E mesmo diante do Santos, outro gigante do futebol mundial, a tal fama de “imortal” surgiu e, minuto a minuto, foi comprovando o porque de sua existência.

Borges, 2×1. Borges, 2×2. Jonas, golaço, 3×2.

Era 30 do segundo tempo. Em 18, o drama virou uma vitória incrível! Como era possível?

A torcida fazendo festa, gente morrendo do coração (não é mentira, aconteceu), o time vibrando em campo e aí, neste momento, quem tomou um susto foi o Santos.

A frase na testa dos santistas, de quem via pela tv, de quem jogava pelo Grêmio e de cada torcedor no Olímpico era: “Como eles viraram isso!?”

E não bastasse a vitória, goleada! Gol de Borges, e o Grêmio ia pra Vila com vantagem de poder perder.

Não, aí é demais! Calma lá! Tudo tem limite! rs

O Santos fez uso de sua maior arma, o talento, e achou um golaço no fim, quando já estava meio baleado pro jogo.

O emocional pro jogo de volta ficou completamente diferente em questão de minutos.

Virar um jogo todo time vira. Virar uma decisão, poucos.

Virar em 18 minutos um 2×0, pra cima do melhor time do Brasil, fazer o quarto e levar a decisão com vantagem no jogo de volta é coisa pra “imortal”.

E o Santos favorito? Segue sendo perfeitamente viável sua classificação.

Mas, que assustou, não tenho dúvida.

Belíssima atuação do Peixe, que foi pra cima e meteu 3 lá no Olímpico, o que é tão incrível quanto a virada, e show do Grêmio, que não se abateu com 55 minutos onde tudo deu errado e foi buscar, em 18, um argumento a mais para sua eterna fama de “imortal”.

E o Sportv ganhou mais um “jogo para sempre” pro fim do ano…

abs,
RicaPerrone