Home » Futebol » Quase inevitável

Quase inevitável

O que é tratado como virada de mesa, possibilidade de acordo ou salvação de times grandes na real pode ser a única saída da CBF/Clubes a interferência da justiça comum no futebol brasileiro.

Há um “acordo”  para que clubes não recorram a justiça comum em virtude dela ser conflitante com muitas regras do esporte. A FIFA repudia, as confederações concordam, os clubes tem esse acordo.

A Lusa não vai entrar na justiça comum. Mas alguns torcedores vão. E é quase óbvio que um juiz, seja onde for, dê uma liminar que possa “segurar” o Brasileirão 2014. O que seria uma tragédia para 40 clubes, tv, patrocinadores, torcedores, FIFA, CBF, alguns mil jogadores, entre outros envolvidos.

A CBF sabe disso, não é burra. E contra ela, várias emissoras que não tem direitos de transmissão fazem tudo pra incentivar tal postura.

Vai dar merda.

A única e mais prudente forma de evitar que o Brasileirão 2014 não seja interrompido diversas vezes é aceita-lo com 24 clubes num acordo bom pra todas as partes.

E neste caso, acredite: Quem terá virado a mesa terá sido o próprio torcedor ao acionar a justiça comum, não um dos clubes.

Mas é inevitável. Cada dia mais sem solução.

Não sou advogado, não entendo de leis. Mas sei do porque a FIFA pede que ninguém recorra a justiça comum em nenhum país do mundo. E sabendo disso, sei que liminares e decisões acontecerão a médio prazo, sem que seja suficiente para resolver tudo antes do campeonato começar.

E se começar, alguém dirá: “Calma lá! Mas eu não tive tempo de planejar minha série A/B!”, e volta a confusão toda.

Não tem fim.  Melou.

O Brasileirão 2014 vai acabar sendo com 24 clubes (e provável mata-mata) por falta de opção.

“Ah mas um Brasileirão com 24 clubes é contra o estatuto do torcedor também.”.

Sim, mas ai, com todos na série A, quem iria lá reclamar?

Aguardemos. Mas eu apostaria alto nisso.

abs,
RicaPerrone

Comentários