Home » + Chamada » Eurico e “seu caldeirão”

Eurico e “seu caldeirão”

Longe de mim passar perto da hipocrisia de achar que “a torcida do Vasco” tenha feito alguma bobagem hoje. Todas as imagens que vimos são de marginais criando um tumulto, agredindo, batendo, apanhando e ameaçando.

Como em 100% dos casos na história do futebol brasileiro, o problema foi criado por uma Organizada.  E desta vez vou além, porque pouco me importa se o mando foi do Vasco ou do Flamengo, se a merda foi na Ilha ou em São Januário. Há vídeos e fotos pela web mostrando que organizadas dos dois times tinham essa intenção. O que determinou o lado foi o resultado.

Eurico inflama num nível contra o Flamengo que inviabiliza o jogo ser sugerido num estádio menor. Mas ele insiste, fala em ambiente hostil, estoura uma guerra de nervos, perde o jogo e vê sua melhor arma pra 2017 ser destruída e com toda justiça, provavelmente, punida.

Sem São Januário contra o Flamengo era mais receita, menos pressão. Pois pressione, perdeu o jogo, a renda, e o estádio por algumas rodadas.  Não me parece genial. Se a volta for na Ilha, mesmíssima cagada.  Não se coloca sua gente em risco por causa de 3 pontos. Segurança é a base de qualquer evento.

Pela milésima vez me recuso a falar em “torcida do Vasco” ou “torcida do Flamengo”.   São bandidos. Gangues. Não há qualquer pessoa de bem capaz de atirar pedras em pessoas ou bombas em grupos porque perdeu um jogo de futebol.

Existem horas de imagens. Ninguém vai preso.

Porque no Brasil, na política, na arquibancada ou onde for, quando se faz algo em bando a culpa é do bando e não mais do sujeito.

Meu avô me dizia que só covarde age em bando.

E sim, ele sempre soube o que dizia.

abs,
RicaPerrone