Home » + Chamada » Esporte Interativo comprova a culpa dos clubes

Esporte Interativo comprova a culpa dos clubes

Todo santo dia alguém diz na tv que a culpa do futebol brasileiro ser tão atrasado é “da CBF” ou “da Globo”.  Na verdade essas pessoas pouco percebem que o discurso repetido é baseado em informação quase nenhuma, mero comodismo de procurar a verdade.

Pois a verdade vos libertará. E é hora dela ser explícita.

A Globo, na dela, fazendo seu papel claro de empresa que busca lucro e ponto final, oferece e compra os direitos de tv dos clubes brasileiros há 200 anos.  É assim, e ponto.  Em nenhum momento da história os únicos interessados e capazes de mudar isso abriram o bico. Sempre disseram “amém”, assinaram, anteciparam e se fizeram reféns para manter a porra dos mandatos de seus presidentes ao longo dos anos.

Vale 50.  Mas eu mando só até dezembro. Então antecipa 20, eu assino por 30, salvo meu ano, foda-se o próximo. Clubes quebrados. Dívidas enormes. E mais do mesmo.

Então chega ao Brasil Fox e Turner, duas das maiores empresas do planeta no ramo. E então a Globo perde a Libertadores no cabo, que é onde as empresas atuam, e em menos de 3 anos vê o Brasileirão ser ameaçado.

Agora vem comigo, vou simplificar:

A Globo faz uma proposta unificada pros clubes. Ela oferece X para ter PPV, TV fechada e TV aberta. Eles assinam, todo mundo sai feliz.  Quanto é? Depende. Tem clube que ganha 150, outros ganham 50.  Concorde você ou não, sendo as negociações individuais desde o fim do clube dos 13, o seu clube concordou e assinou.

Porque?

Porque deve. Precisa de adiantamento. A Globo dá, joga o jogo falando em “audiência”, porque de fato no cabo era Sportv contra o vento, já que a Espn e o Band Esportes nunca deram audiência.  Agora tem Fox e EI.  A audiência virá, é fato. Um tem a Libertadores, o outro a Champions. Não haverá traço.

Quando a Globo compra os direitos de tv ela faz os clubes, bobos ou se fazendo de, acreditarem que não há outra saída.  Eles nunca pensaram, por exemplo, em vender os direitos coletivos com primeira escolha, segunda escolha. Simplesmente porque não há “coletivo” no futebol brasileiro. E enquanto não venderem os clubes, não haverá.

Quando o EI vai aos clubes e oferece 550 milhões por ano de TV fechada, a ficha cai.  “Se a Globo paga 1,1 bi pros 20 clubes nos três (tv, cabo e ppv), como pode o cabo pro EI valer 550?

Simples. Você vende mal o produto.  Agora tem quem pague 550 por um dos três, que conforme o CADE deve ser vendido separadamente.

E então seu clube fica na dúvida.

A Globo joga com o que tem. Faz o que eu, você ou até a EI faria. Ameaça com menor exposição na aberta, lembra o acordo de anos e anos, antecipa cotas e etc.

O EI, esperto, mandou pros clubes uma proposta com a mesma antecipação da Globo.  Pra alguns, não adiantou. Assinaram mesmo assim, perdendo a chance de ganhar 9x mais a troco de que? Vai saber. Ou melhor, sabemos.  É um misto de burrice com política.  Um pensamento raso sobre dinheiro e como fazer o produto crescer.

Você, sócio torcedor, dá seu dinheiro pra sustentar um time que normalmente deve até mesmo os salários. E quando um dinheiro aparece pra inflacionar e dar ao clube poder de barganha, a política atrapalha e mostra o quanto o jogo não é claro.

O direito de tv no Brasil só funciona quando os dois clubes do jogo tiverem vendido pra mesma emissora. Ou seja, ao assinar com o Santos (e outros que já assinaram) o EI impede que o Sportv transmita qualquer jogo do Santos e vice-versa, quando o rival não for da emissora.

Quem ganha? Ninguém.

Perde a Globo, que terá meio evento. Perde o EI, que terá comprado parte dele. Perde o evento que terá vetos de exposição. Perdem os clubes que não foram atrás da maior receita.

Sócio, seja ao menos honesto com o seu dinheiro.  Se seu clube optar por A ou B, pergunte a ele os motivos. Não a CBF ou a boa vontade da Rede Globo. Entenda: O que se negocia é o direito de TV FECHADA. Na Globo continua passando, não há concorrência.

Aguardem. Essa novela está só começando.

abs,
RicaPerrone