Home » Entrevistas » Entrevista: Jean Chera

Entrevista: Jean Chera

Jean Chera apareceu num vídeo do youtube ainda garoto,  jogando muita bola. A mídia foi em cima, diversos clubes também. Desde então, contratado pelo Santos, Jean se tornou um “craque” sem ainda ter jogado.  Trocou de clubes, foi para o exterior, voltou e hoje está no Oeste disputando o Paulistão.

Você pode pensar que me refiro a um jovem de 28 anos com passagens por Santos, Flamengo, Cruzeiro e Atlético PR. Mas não. Jean tem 18 anos e ainda uma carreira pela frente.

Rica Perrone: Jean, você tem 18 anos. Quando se fala em Jean Chera lembramos de um garoto que trocou de clube algumas vezes já. Parece um cara de 25 que ainda não deu certo. Na verdade, você é muito novo. Dá pra dizer que até agora “deu errado” ou há exagero?

Jean Chera: Acho que de alguma forma “deu errado” sim. Algumas escolhas erradas… Mas como você disse eu ainda sou muito novo e vejo pessoas falando que minha carreira acabou. (risos)

RP: Exato. Sua carreira já tem mais história que a de muito profissional e você ainda é novo. Afinal de contas, o quanto ter aquela mídia toda aos 11 anos te atrapalhou?

JC : Atrapalhou um pouco, foi muita pressão e eu era muito novo.. Pressão de dirigentes, pressão do meu pai. Tinha que entrar e jogar bem sempre, fazer 2.3 gols…
RP: Teu pai é um vilão como pintam algumas notícias ou não é verdade que ele faça jogo duro com os clubes exigindo que você jogue?

JC: Ele nunca exigiu que eu jogasse, isso é mentira. Mas ele teve algumas atitudes erradas com dirigentes que se ele tivesse evitado, as coisas poderiam ser diferentes.

RP: Você foi “filha da puta” com o Santos como alguns torcedores dizem? Conta a real da sua saída de lá.

JC: Eu não, eu tinha 15 anos.  O contrato profissional estava pronto 30mil mensais. Ai surgiu o clube italiano oferecendo os 30 em Euros. 1 dia antes de assinar com o santos.. Meu pai me disse que era melhor eu ir embora, eu com 15 anos ia fazer o que ? “Obedeci” meu pai e fui…

RP: Se arrepende?

JC: Sim. Foi uma escolha errada. Ate tentei contato com o pessoal do Santos quando voltei da Itália e quando sai do flamengo, mas não aceitaram minha volta por causa do meu pai..

RP: Poxa Jean, seu pai parece ter atrapalhado sua carreira. Talvez por inexperiência, claro. Hoje, no Oeste, você sabe dizer o que deu errado em Cruzeiro e Flamengo, por exemplo?

JC: Cara, no flamengo eu estava jogando, alternando bons e maus momentos. Tinha o salário na carteira e na imagem.. Imagem eles pagaram 1 mes e ficaram sem me pagar 11 meses da carteira.. No final do ano eu não estava feliz, eles também não. Sentamos e fizemos um acordo porque estavam me devendo.

RP: E no Cruzeiro?

JC: No cruzeiro fiz contrato de 5 meses, depois de 4 eles me chamaram pra renovar por 3 anos mas continuar no sub20… Eu e meu empresário achamos que era hora de jogar profissionalmente e aparecer, pedimos a liberação e eles liberaram numa boa… Totalmente ao contrário do que foi noticiado de que eu tinha sido mandado embora do cruzeiro.

RP: E agora, no Oeste. Prometeram que vai jogar pelo profissional ai?

JC:  Sim, fiz o contrato ate o final do ano pra disputar o paulista e a serie B.. Me receberam super bem, comissão, jogadores.. Ja estou treinando desde segunda a parte física pra ficar a disposição do treinador o mais rápido possível.

RP: E se no final do ano os 12 grandes do Brasil te fizessem a mesma proposta? Em qual você gostaria de brilhar?

JC: Eu queria um dia voltar pro santos e mudar essa história que ficou lá. Fiquei dos 8 aos 16, aprendi a gostar do clube. Mas, vamos ver. O futuro a Deus pertence! (risos)

RP: Voce trocou de empresário? Quem é que cuida da sua carreira agora?

JC: Troquei, conversei com meu pai e achei melhor seguir em frente sem ele, aceitou numa boa. Hoje quem cuida da minha carreira é o Thiago Martins, somos bastante amigos ja a algum tempo, ele é de Santos e começamos a trabalhar juntos a uns 2 ou 3 meses.

RP: Jean, você é um cara de talento raro. Seja lá como for, com dirigentes, pai, empresário ou o motivo que fosse, esperávamos você brilhando em campo quando jogasse. O que falta pra você provar não ser um “marketing” e sim um “craque”?

JC: Tranquilidade pra poder treinar e jogar. As coisas aconteceram muito cedo na minha vida e não tive o suporte a “blindagem” necessária pra suportar tudo isso. Sempre fui muito exposto a mídia, exposto dentro de campo aos meus companheiros. Lembro de quando tinha 13 anos, um treinador no intervalo do jogo chegou pra mim e disse: vc ganha mais que todos que estão aqui dentro desse vestiário, volta pro 2º tempo e vira esse jogo… E eu tinha 13.14 anos .

RP: Pra fechar, acho que ninguém entende mais de futebol de base que você. (risos) Qual dos clubes que voce passou tem uma boa base ou uma base ruim?

JC: Todos os que passei tem um base muito boa. O santos acho que não precisa nem falar, sempre revelando ótimos jogadores. E o cruzeiro né, que tem uma das melhores estruturas do Brasil.

RP: E o Flamengo?

JC: É um grande clube também.. Mas em termos de base, acho que esta um pouco atras do santos e do cruzeiro!

RP: Jean, obrigado cara. Espero que você consiga ser 70% do que esperam de você. Assim já teremos um craque. E que você não seja mais um desesperado pra sair pro cu da Russia ao invés de amadurecer legal aqui no Brasil.

JC: Valeu Rica, eu que agradeço a oportunidade de esclarecer alguns pontos que as pessoas as vezes falam sem saber!

abs,
RicaPerrone

Comentários