Home » Outros Esportes » Fórmula 1 » Ele voltou! Mas… pra que?

Ele voltou! Mas… pra que?

schumacher-150x150Sim, estou muito feliz. Adoro o alemão, é um ídolo meu e portanto torço para vê-lo em ação sempre. Mas, a pergunta que não me sai da cabeça desde sua apresentação na Mercedes é: “Pra que?”.

Schumacher não quer grana, não precisa. Não busca se firmar, não busca mais nada. É o dono absoluto da historia da F-1. Volta após contusão grave, com mais de 40 anos, num carro em tese competitivo, ao lado da atual grande promessa da categoria. Seria um risco calculado?

E se o alemão for mal? O esporte não costuma perdoar em virtude do curriculo. Vao falar, vão menosprezar e ainda terão pessoas que guardarão a imagem do fim, não do auge.

Michael não precisa disso. Mas vai fazer.

Pra que?

Não sei.

Porque?

Imagino que sim.

Michael tem uma divida com a Mercedes. A montadora bancou sua carreira até a F-1, sempre foi um “piloto mercedes”, e por ironia do destino venceu titulos e mais titulos pela grande rival na F-1. Mas, sempre manteve a relação.

Tanto que esteve nas festas de titulo da McLaren sempre que não conseguia o caneco.

Hoje, a Mercedes deve ter pedido. E Michael deve ter pesado uma vida “devendo” essa pra montadora.

Michael vai la ser campeão? Duvido.

Aos 40 anos ele não deve ter condições pra isso. A não ser que seja mais fora de série ainda do que ja sabemos. Mas, quem sabe?

Acho que ele vai para ajudar a equipe a se firmar, a montar o carro, montar a base e depois sair.

E como hoje não tem testes, a unica forma dele palpitar sobre o carro é correndo.

Michael vai ajudar seu companheiro a crescer, como ajudou Massa. E não me espantaria ver o alemão fazer um ano de coadjuvante, apenas arrumando as coisas, ajudando e ganhando seus milhões.

Como disse, me parece muito mais uma divida de gratidão do que uma ambição adicional na carreira.

De qualquer forma, é sempre uma honra ver o cara guiar.

E que ninguém duvide. Ele pode voltar em alto nivel e meter a molecada no bolso. Mesmo com idade, machucado e ha tempos sem guiar…

abs,
RicaPerrone