Home » + Chamada » É tão fácil jogar com a mídia

É tão fácil jogar com a mídia

As vezes eu fico pensando o que eu faria se fosse treinador, diretor, presidente.  E toda vez que vejo o massacre da mídia sobre um dos citados eu consigo ver com muita facilidade o que contornaria o cenário.

A mídia é muito fácil.  Não chega nem a ser prostituta porque na maioria dos casos nem pagar precisa. Mas ela está constantemente aberta a ser convencida pelos seus próprios erros.

Eu me pergunto o que quer a CBF quando coloca Dunga e Gilmar lá? Apanhar? Ser investigada? Gerar raiva? Perder público?

Porque, convenhamos, não tem sentido. Embora eu não ache que os dois sejam culpados e menos ainda que devam ser bombardeados por isso, eu não consigo encontrar o planejamento dessa situação.

Hoje, se tivesse alguém razoavelmente inteligente sem interesses políticos, anunciaria Leonardo, Tite, Rodrigo Caetano.  Pronto! Amanha cedo todo mundo tava acreditando numa virada.

Porque são os caras? Não! Porque a mídia não vai ter como ir contra o que ela jura ser a solução. E se for, ótimo! Se não for, joga na cara deles.

Mas não. Eles vão manter os caras, teimar, brigar com mídia e torcida e seguir o caminho estúpido de quem tenta ganhar “de tudo e de todos” ao invés de somar forças ou saber driblar os problemas.

Uma vez o Caio Junior foi eleito o técnico revelação do campeonato. Eu estava no Morumbi no jogo seguinte numa roda com uns 10 jornalistas contestei.

– Porra, o cara é fraco! Porque ele ganhou esse prêmio?
– Ele é gente boa pra caralho… Recebe a gente, atende, faz as pautas. É foda.

E quase todos concordaram. (nota-se pela eleição do sujeito inclusive)

A mídia manipula a opinião popular pra onde ela bem entender. É assim no mundo todo. Quem informa escolhe o tom e com ele induz o informado a opinar.

E é tão fácil manipular a mídia que eu fico assustado com a falta de criatividade dos caras. Amanhã eles mantém Dunga, Gilmar, peitam o Zico na imprensa e …. crise! Tome oposição! Tome gente com raiva da seleção.

É muita burrice.

abs,
RicaPerrone

Comentários