Home » Futebol » E o Palmeiras?

E o Palmeiras?

Não tenho o que dizer sobre a derrota do Palmeiras, ou melhor, a vitória do Coxa. O placar explica com perfeição o que houve em campo. Mas, um tanto quanto de saco cheio de falar do assunto proibido (Palmeiras), convidei alguém que conhece bem mais o clube do que eu.

Fernando Nardini é jornalista, apresentador do Record News e sabe tudo de futebol. Na verdade sabia quase tudo, mas convivendo comigo passou ao estágio superior. Ele falará melhor do que eu sobre o assunto…

————————————————————

Confesso que, depois da eliminação do Cruzeiro, parei para pensar se o Coritiba não era o mesmo caso de time que não havia sido devidamente testado na temporada. Quando a bola rolou duas coisas ficaram claras: o Coritiba está sim jogando um belo futebol e o Palmeiras não seria o teste definitivo para o Coxa em 2011.

A confiança é o maior reforço de qualquer atleta e qualquer equipe e isso sobra no Coritiba atual, um time com jogadores que foram dispensados por outros clubes misturados com outros pouco conhecidos no cenário nacional. A confiança que sobra no Coxa inexiste no Palmeiras, principalmente depois da eliminação para o Corinthians no Paulista. O Coritiba passeou, atropelou, humilhou fez sei lá o que com o Palmeiras e teve muitos méritos, mas o Palmeiras, como em algumas passagens da história, foi muito pequeno.

A noite tinha a volta de São Marcos ao gol depois de 3 meses. O cara é uma entidade, seria motivo suficiente para o time correr, morder, comer grama, mas não. O Santo teve mais uma noite daquelas memoráveis, tal qual a da goleada de 7 para o vitória em casa. Felipão perdeu a chance de justificar os seus pedidos insistentes por um camisa 9. Ao deixar Welington Paulista no banco mais uma vez isolou Kleber no ataque e este teve uma noite apagada, justamente depois de criticar publicamente a defesa em uma entrevista coletiva na véspera do jogo. Tava na cara, no domingo Felipão vociferou “enquanto eu for técnico o Luan joga”. Joga, Felipão ? Onde? O Luan entra em campo e só. Entra para “marcar” o Rivaldo, um jogador horroroso que o próprio treinador indicou e fez questão da contratação. O Luan quando enfim consegue chegar ao ataque perde gols. Não foi o caso ontem, porque o Edson Bastos assistiu o jogo de dentro do campo. Resumindo, o lado esquerdo do Palmeiras é cego de bola. O Leandro Amaro, promovido pelo Felipão na vaga do Maurício Ramos fez um pênalti de pelada de casado contra solteiro. Era o Bil tentando driblá-lo, mas parecia o Messi. Vergonhoso. O quinto gol do Coritiba é um escândalo, todo mundo recua e assiste o Geraldo entrar com a bola até ficar cara a cara com o Marcos.

Cabe aqui lembrar que dificilmente um técnico qualquer daria sequer esperanças a torcida com o time que o Palmeiras tem hoje. Felipão ajudou a recuperar Thiago Heleno, fez de Marcio Araujo um bom jogador, botou fé no Patrick que fez gols importantes no Paulista, mas e aí ? Qual o fim dessa história ?

O time que caiu de pé no Paulistão domingo, jogando melhor que o Corinthians com um a mais fez vergonha na Copa do Brasil, jogou o semestre no lixo de forma vergonhosa. Esse é um daqueles episódios que fazem lembrar uma frase do Muricy aos jornalistas, “vocês sabem só 10% do que acontece num time de futebol”. A mudança de postura e de atitude em 4 dias é um escândalo, é sintomática. Tanta apatia, tanta falta de vontade deve ter alguma explicação que nós jornalistas e vocês torcedores desconhecem. Por picuinha de boleiro ou de diretor, sofrem milhões.

Agora vem aquele nhem nhem nhem, pichação em muro, culpa na imprensa, mania de perseguição…Papo furado. O problema do Palmeiras é o próprio Palmeiras. É um clima político efervescente em 100% do tempo, uma diretoria que assumiu as buchas da anterior e largou o time a própria sorte, que tem má vontade com o técnico que ganha salário milionário e principalmente um grupo recheado de jogadores que jamais poderiam passar na porta do clube.

É triste pelo Marcos, um gente boa, cara diferente, que merecia um último ano de carreira mais digno, deu pra sentir a mágoa nas palavras dele no fim do jogo. Eu teria me aposentado ali mesmo. Semelhante a isso só o que o torcedor está sentindo.

É lamentável informar mas se não houver reformulação GERAL (mais uma) o Palmeiras vai ser apenas mais um no Campeonato Brasileiro. E quer saber? Já que não dá pra trocar a péssima diretoria, a reformulação tem que começar pelo banco.

Fernando Nardini