Home » Futebol » Clubes » Corinthians » É nóis, “mano”!

É nóis, “mano”!

Mano Menezes é o novo técnico da seleção. Desta vez, sem firulas, confirmado. O gaúcho de 48 anos tem o melhor perfil possível quando se fala em “renovação”.

Não, eu não gosto dessa coisa de “renovação”. Acho que ela deve acontecer sempre e de forma natural, não forçada no dia que alguém determina. Mas, se é esta a ordem, está em ótimas mãos.

Perante a idéia de “renovar”, não cabem Luxemburgo e Felipão. Meu preferido era o técnico palmeirense, em seguida o do Galo. Mas, como eles não representam “renovação”, então, não cabem.

Entre os que cabem tem Mano, Muricy, Renato, Caio Jr, Dorival, Roth, Mancini, ou seja, nada especial.

Destes, a briga fica mais forte entre Muricy e Mano. Há quem diga que o Mano não ganhou nada pra ser técnico da seleção. Há quem diga que Muricy é genial por 3 brasileiros.

Eu não entro nessa. Pra mim técnico não se avalia meramente pelo resultado. Ele pode ter time pra ganhar ou não, isso não diz nada. As vezes é muito melhor o trabalho do quinto do que do primeiro. Depende do time que se tem, da forma que se trabalha, do quanto é mérito e do quanto é sorte ou talento individual de um jogador.

O futebol ensina isso. Mas a gente não aprende.

Enfim, Mano estoura no Grêmio em 2005. Sobe com o Grêmio, ganha 2 estaduais, vai a final da Libertadores de 2007 e chega em terceiro no Brasileiro de 2006. Isso sem ter um grande time nas mãos.

Vai ao Corinthians em 2008, tira o time da série B, reformula o elenco, chega a 2 finais de Copa do Brasil. ganha uma delas e leva um estadual invicto. Isso considerando que o futebol apresentado pelo Corinthians no primeiro semestre de 2009 foi absolutamente empolgante e bonito de se ver.

Em 2010 se enrolou no começo do ano. Talvez por reforços não tão bons, talvez por ansiedade do centenário, enfim. Mesmo assim retoma o Brasileirão entre os lideres.

Mano é educado, inteligente, tem postura. Tem perfil pra representar uma camisa tão forte. Ao contrário de outros tantos que nem falar sabem.

Seu curriculo pode não ser glorioso como de alguns outros, mas se isso representasse alguma coisa o Telê Santana seria um “qualquer” até 1991. Portanto, antes de jogar tudo no resultado, lembre-se que o Antonio Lopes tem mais titulos que o Muricy, por exemplo. Que diversos técnicos ganharam um titulo importante e sumiram.

Isso não é o reflexo total do trabalho.

E o trabalho do Mano, por onde passou, ao meu ver é muito bom.

Se a ordem é renovar, temos hoje o melhor treinador da nova geração vestindo a camisa da seleção.

Boa sorte, Mano!  Torço muito por ti. E agora posso dizer: por nós!

abs,
RicaPerrone