Home » Futebol » Determinando valores

Determinando valores

Quando os grandes clubes de um país fazem campanhas ruins nos estaduais, sofrem para se classificar e, em alguns casos, sequer conseguem, é sinal de uma coisa clara: Isso não vale mais grande coisa.

Azar de todos, que corremos o risco e, até, algumas certezas de termos finais e semifinais mediocres por ai.

Veja você: Em Minas, o Galo empatou 2 pra classificar. O Cruzeiro empatou em casa e foi buscar fora. Não foi a molezinha imaginada.

No Sul, o Inter passou nos PENALTIS contra o mediocre Novo HAmburgo. No primeiro turno, o Inter nem foi a final.

Em São Paulo, o Palmeiras fez feio. O Corinthians e o SP foram até a ultima rodada brigar pela vaga. Sobrou pro Corinthians, que com um campeonato tão mediocre quanto o SP, acabou ficando fora. A diferença foi um tropecinho a mais, só. Os dois jogaram nada em 3 meses.

No Rio, e que não venha a ladainha do nivel, os 4 passaram nas duas fases. Sorte deles, que terão semifinais e final com grandes clubes e casa cheia. Só lá, diga-se.

Nos demais, lero-lero até a final para ver SE os grandes chegam.

Em SP, é certeza: A final será mediocre. Um gigante e um nanico.

Em Minas, não se sabe ainda.

No Sul, só haverá final se o Inter for campeão do turno. Caso contrário, joguinho.

É isso que os organizadores do nosso futebol proporcionam aos clubes que eles, em tese, defendem. 3 meses desta porcaria, com expectativa de um final melhor, e em alguns casos nem isso acontecerá.

Chega! Em 2011, ou se muda pra 10 clubes e 2 turnos rápidos, ou os grandes precisam abandonar de vez essa palhaçada.

Nao cabe a um futebol que cresceu mais de 200% em 4 anos manter torneios claramente para ajudar pequenos a sobreviver.

Futebol não é caridade.

abs,
RicaPerrone