Home » Futebol » Critérios da fila

Critérios da fila

Vou tentar responder a 3 perguntas sobre o ranking de filas que fiz na semana passada. Elas representam 98% dos questionamentos de torcedores sobre a lista, e por mais que eu considere puro recalque, cabe esclarecer.

Vamos a elas:

1- A Conmebol não foi substituida pela Mercosul ou Sulamericana. Ela foi EXTINTA em 99, quando a Mercosul já existia, fazia sucesso e matava de vez um torneio fracassado da Conmebol que jamais deu resultados. Os clubes JAMAIS deram a mínima importância ao torneio e ele faliu rapidamente. O SPFC, pra se ter idéia, foi campeão com o time de juniores. Entendo a euforia atleticana, mas, convenhamos, não é o caso. A Copa Conmebol nunca foi um torneio de nível.  Tanto que faliu. E vale o registro: A Sulamericana não substitui a Conmebol. O torneio “bom” depois da Libertadores era a SUPERCOPA, não a Conmebol.

2 – O Mundial do Corinthians não fui eu quem inventou. Eu nem acho que valha tanto quanto os outros que ganharam em Tóquio, mas… o ranking de fila não está atribuindo valores a títulos. Está apenas registrando. E sendo Mundial, sendo um torneio de verão ou o que for, é um “torneio internacional”. Eu não posso desconsiderar simplesmente porque “não foi igual os do Japão”, até porque lá só diz “título internacional”, não diz a importancia de cada um.

3- Em 1952 o Fluminense foi campeão da Copa Rio. Pra muitos, especialmente os mais jovens, só vale o que ele conhece ou que alguma entidade assina. Mas, como o futebol não foi inventado com o playstation, é bom registrar que ANTES de haver federações, confederações, ligas e etc, existia futebol. Não é porque você ou a CBF não existiam que o torneio não vale. Naquela época foi um torneio mundial. Igual os mundiais de hoje? Claro que não! Mas naquele momento era o que tinha e era único. Como no caso do Mundial 2000, bom registrar que o ranking não determina o quanto vale. Apenas registra que houve um “título internacional”.

Bem diferentes de Tereza Herrera e Ramon de Carranza, que são torneios amistosos de pré-temporada numa era onde todos já conhecem os torneios oficiais, calendários e confederações.

Enfim, é isso. Concordem ou não, acho que ficou claro.

O post não defende uma tese. Apenas levanta números curiosos.

abs,
RicaPerrone