Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Caçando bruxas

Caçando bruxas

Entendo a tristeza dos corintianos em ver, de novo, o time sair da Libertadores. Entendo ainda mais a euforia dos rivais, que manterão por mais um ano a piada que mais irrita os alvi-negros.

Não entendo, porém, porque a Libertadores se tornou a única coisa que existe no mundo para os times brasileiros. Chega a ser um tanto quanto engraçado, mas se você “perder” o torneio… o ano está comprometido.

O “Brasileirão vira obrigação”, dizem as torcidas. A imprensa já cai nos caras falando em “como será o RESTO do ano”.

Que resto? Estamos em janeiro.

Insisto: O futebol sulamericano está falido. A Libertadores é a Copa do Brasil com 2 ou 3 turistas e grife.

Quando digo isso alguns entendem como menosprezo ao torneio, e não é bem por ai. A questão que precisa ser colocada é que HOJE a Libertadores não é um torneio tecnicamente forte. Existem os brasileiros e apenas uns 2 ou 3 times de fora capazes de jogar alguma coisa.

O resto é pedrada, pressão, campo ruim, etc. Por isso eu digo que é uma Copa do Brasil com 3 turistas. Porque de fato é mesmo. Juntam 5 brasileiros e mais 3 times com alguma condição técnica de fazer algo. O resto é “guerrinha”.

Não a toa o futebol sulamericano está absolutamente FALIDO e só o Brasil cresce e se mantém forte. O que nao tira o valor do torneio.  Ou alguém acha que o fato dos estaduais serem hoje uma porcaria diminui o titulo que alguém conquistou quando ele era um baita torneio?

Mas, como pros brasileiros Libertadores virou um tormento e não um objetivo, eles tremem e perdem jogos que dificilmente perderiam se não fossem tão pressionados.

Alguém aí acha que o Corinthians tem menos time que o Tolima? Claro que não.

Agora entra uma segunda discussão, que é necessária.

Porque perdeu? O rival era melhor? Não. Então, qual motivo?

E aí você lista:

O time nao aguentou a pressão, não houve reposição, o técnico não é um grande técnico, o banco é fraquíssimo, dois titulares importantes sairam, outros 3 titulares de alto nível entraram no ano jogando nada, entre outros detalhes.

Cabe colocar a eliminação do Corinthians como o “fim do ano”?

Pera lá vai…

Vai colocar nas costas do Ramirez? O garoto nem deu a cotovelada. Ele exagerou na forma de tirar o braço do cara.

No Tite, então? Ele ia fazer o que de muito diferente? Emagrecer o Ronaldo, fazer Dentinho e Bruno Cesar jogarem o que jogavam, mandar buscar o Elias e transformar o Castan em zagueiraço?

O Ronaldo, sozinho, vai fazer o que?

Essa caça as bruxas quando um time perde a Libertadores é meio exagerada.

Os caras vão voltar, aguentar torcedor de microfone gritando na tv uns dias, depois eles ganham 3 jogos no Paulistão e tá tudo certo.

Aí entram no Brasileiro enquanto os outros jogam finais de mata-mata e dirão: “A eliminação da Libertadores acabou sendo boa pro Corinthians”.

Porque é assim. O futebol é repetitivo. Todo ano é a mesma coisa, só muda a camisa, o culpado e a data.

E daqui por diante vem outro tormendo: Conseguir a vaga na Libertadores.

Eu sei da importancia do torneio, ninguém precisa me explicar.

Só não sei porque o ano de um clube brasileiro se limitou a jogar e ganhar um campeonato só, transformando os demais campeonatos em “resto” e “obrigação”.

O Corinthians não montou um time pra ser campeão. Achei até que iria mais longe, bem mais longe. Mas o time era apenas bom, e continua sendo.

Se deixarem, é claro.

Porque o normal é que amanhã cedo caia o técnico, meio time, a torcida proteste, a mídia (torcida de microfone) faça pior que a organizada e meta mais pilha ainda na situação.

E aí sim, pelo cenário de guerra criado em cima de uma derrota, o ano acaba mesmo.

Vale a pena?

abs,
RicaPerrone