Home » Futebol » Boleiros e boleiros

Boleiros e boleiros

Quando assumiu, sabia que estaria colocando um “amor eterno” em risco. Ainda assim, está testando os limites do clube e da torcida.

Falcão é inteligentíssimo, o que pode acabar lhe atrapalhando. No futebol você não precisa falar bem, saber ler, escrever, as vezes nem pensar. E quem pensa demais, neste meio, normalmente é mal interpretado.

O ídolo disse que o Inter não tem condições de ser campeão com este grupo. Disse, também, que acha o time bom, mas que faltam peças. E talvez falte, talvez não, a questão não é essa.

Há pouco tempo vimos o Leão quebrar a cara por dizer algo assim no Palmeiras.

Ok, era o Leão, não dá pra ser parâmetro. Falcão é um poço de elegancia, Leão de arrogancia.

Eu discordo do Falcão. Acho que o Inter tem, hoje, antes de se reforçar, nomes suficientes pra brigar pelo título de igual pra igual com as principais forças do país. Acho e vimos, no ano passado, que não era um surto.

O que me parece constrangedor é que, ao contrário do Renato, ídolo que hoje dirige o Grêmio, Falcão não parece falar a linguagem do boleiro.

Como citei, é acima da média. O que não significa, nunca, que a inteligencia e a cultura de um sujeito possa se tornar “jogo de cintura”, tão fundamental quanto.

Você pode estudar jornalismo por 10 anos e ser o melhor da turma. Se você não souber falar, se comunicar, não é a faculdade que vai te ensinar.

Falcão pode dizer, explicar e corrigir tudo que pensar. Eles não vão entender.

Nem o torcedor, que não admite a hipotese de um ícone do clube desmerecer o próprio time, nem os jogadores, que se sentirão obviamente desprestigiados pelo “professor”.

Ou seja,  a discussão sobre o que disse o Falcão é tola e vazia. Apenas uma opinião sobre futebol.

A questão é pra quem e sobre quem disse.

Toda a inteligência de Falcão não impede que, de novo, ele caia num meio que conhece bem e não consegue se virar com categoria, como fazia nos gramados.

O mundo dos boleiros é dos boleiros. De mais ninguém.

Falcão foi craque, gênio. Boleiro, nunca.

abs,
RicaPerrone