Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Atenção, CBF! Dá pra “salvar”

Atenção, CBF! Dá pra “salvar”

Custo a crer, mas não duvido.  Dia 5 joga a seleção. Dia 7, o mais esperado jogo do ano: Corinthians x Flamengo, líder e vice líder, já pelo segundo turno do Brasileirão.  A CBF tem total flexibilidade de mudar jogos por motivos idiotas, que é um critério por ela utilizado, como por exemplo o “chororô” santista, que abriu um precedente complicadíssimo daqui pra frente.

O Brasileirão é da CBF, a seleção idem. Se pro sucesso de um você tiver que prejudicar outro, está fazendo algo de errado.

Será que não era hora, antes do problema chegar, de resolver e evitar que os jogadores sirvam a seleção e acabem com a graça do clássico?

Será inviável mudar a data do jogo para evitar a enorme polêmica que será feita em cima do Mano se ele simplesmente fizer aquilo que todos sugerem que faça: Convocar o Ronaldinho?

Porque desta vez, se ele fizer, e queremos que faça, ele será acusado de “ajudar o Corinthians”, o que não será necessariamente verdade. Mas, no fim das contas, óbvio, Ralf fará 200 vezes menos falta ao Timão do que Ronaldinho e Thiago Neves ao Flamengo.

Motivos óbvios. Imagino não precisar explicar a diferença técnica dos citados.

Todos nós sabemos. O choro do Flamengo será justo se acontecer, o do Corinthians idem se ele convocar o Ralf e ninguém do Fla.

O choro de ambos, do torcedor e da mídia será ainda maior e mais justo ainda se tirarem do clássico as principais peças em troca de um jogo amistoso.

A relação torcedor/seleção já anda ruim em virtude do afastamento, de uma série de fatores imponderáveis, outra de jornalistas que fazem complô contra tudo e também de uma dose de burrice.

Enfraquecer este jogo, tirar das duas maiores torcidas do continente a euforia pelo clássico em troca de um amistoso é pouco inteligente.

Hoje é dia 17.  Dá tempo de evitar.

Me chama atenção também o fato da grande parte da mídia estar quietinha esperando. Talvez porque é sempre mais gostoso meter o pau do que sugerir a mudança antes do problema.

Afinal, se tudo der certo, quem vamos criticar?

abs,
RicaPerrone