Home » Futebol » Clubes » São Paulo » Acabou a comida congelada

Acabou a comida congelada

Muricy está demitido.  Com ingredientes crus, mais uma vez, não funcionou.

Uma das piores coisas que aconteceu no futebol brasileiro foi o endeusamento do trabalho de Muricy. Um treinador retranqueiro, covarde, mal educado(o menos importante) e limitado. Mas que corria na hora certa pro clube certo.

O cara que passou a vida pedindo “meias”. Quando teve não sabia o que fazer com eles. Porque?  Porque eles fazem um time de futebol jogar futebol. É por ali que a bola passa. Muricy não gosta de futebol.

Pra ele um time tem que se defender e achar uma bola na frente. Seus atacantes, se não forem operários como Leandro Guerreiro, dificilmente funcionam.  Ele quer pivôs, como Aloísio. Quer meias como Conca.  Quer operários em todas as posições, pois no fundo sempre foi um mestre de obra, jamais um maestro.

Jean, Arouca, ninguém servia. O Éder do Noroeste, sim.

Era uma questão de tamanho. Para Muricy futebol é matemática. Coloca-se pessoas grandes para brigar por bolas altas. Outros que corram muito em várias posições para não ter que mexer, ignora-se o risco de usar garotos e em algum momento a bola entra.

Sua carreira é um meteoro no SPFC campeão do mundo. Comida pronta, só esquentar.

Um fracasso no Palmeiras, uma contestável pulada fora de barco num Fluminense campeão sem brilho e agraciado com “entregas” no fim do campeonato, uma passagem pelo Santos onde a base foi esquecida e uma Libertadores pela metade, como ele adora, tendo corrido pro melhor time pra entregar o prato já pré-cozido como dele.

Todos os clubes por onde Muricy passou a imagem de “super técnico” desapareceu pra torcida. Nunca houve um bom futebol. Nunca houve nada além de uma busca insuportável por um meio a zero doa a quem doer.

E então reclamamos, no mesmo momento que o exaltamos, que o futebol brasileiro perdeu a identidade.

Ora, e como não perderia se há 10 anos aplaudimos isso? Como não haveria consequências?

Muricy é a manutenção da judiação que Parreira fez com o futebol brasileiro. E hoje, quando o SPFC o demite líder do estadual e classificado na Libertadores (no momento), prova-se que algo está mudando. Que alguém está buscando mais do que mediocres resultados.  Alguém busca futebol.

Muricy serviu muito filé congelado pagando de Chef. Acabou, era hora de cozinhar, e ele mostrou que sem microondas e um congelado, não sai nada.

Valeu, um abraço.  Vá descansar. Você cansou, nós também.

Abs,
RicaPerrone

Comentários