Home » Futebol » Clubes » Flamengo » A pressa, a perfeição

A pressa, a perfeição

No futebol, ninguém atinge a perfeição. Mas tentar se aproximar dela é o objetivo comum de todo e qualquer bom profissional.  O Flamengo motou um belo time, esqueceu de 2 setores do campo, tem o estadual todo pra testar, mas não terá paz pra isso.

Time de massa tem seu lado bom e ruim. E o ruim é que tudo é multiplicado por 10. Jogou razoavelmente bem? Rumo a Tóquio! Jogou mal? Rebaixamento vem aí.

Isso tudo gera pressa. Aquela, inimiga da perfeição, lembra?

Ontem, de tanto ouvir que tava ruim e com SP e Cruzeiro “resolvidos”, mudei de canal e acabei vendo o Flamengo. Entendi, rapidamente, porque as coisas não estão funcionando tão bem.

O time do Flamengo resolveu pular etapas.

Parte disso, a maior eu diria, é culpa dos jogadores que não estão sabendo administrar o que ouvem na mídia e na arquibancada. Outra parte é culpa do Luxemburgo, que cometeu um simples erro, mas que ao meu ver pode ser grave.

Dizem assim: “Cinco jogos pô! Ainda nao temos um time titular!”.

Tá, mas… se não fizer teste no estadual você sugere quando? No meio do Brasileirão?

O Flamengo precisa de um lateral esquerdo. Se não tiver, acho que as saídas são pouco questionaveis.

Improvisar o Renato, só com 3 zagueiros.

Tem 3 zagueiros? Não.

Então volta o Egídio.

Renato volta pro meio, o Ronaldinho no ataque.

O time cresce, como cresceu ontem.

Mas e o Drogbinha?

Voltamos a discutir, porque não dá pra tirar o Ronaldinho.

Enfim, são diversas alternativas que cabe ao Luxemburgo TESTAR agora até achar o time. Não vejo problema nenhum em ver o Flamengo mudando o formato todo jogo. Verei se acontecer no Brasileiro. Agora, é mais do que aceitável.

Agora vamos entrar em outro fator: O da expectativa.

Ninguém imagina este Flamengo ganhando jogos de 1×0 de bola parada.  O técnico é o Luxemburgo, o time tem Thiago Neves, Ronaldinho, Deivid, Leo Moura, enfim, tem qualidade técnica.

E sabendo disso, o time não quer dar outra coisa ao torcedor.

Só que jogar um grande futebol é o ponto final de um processo. Este processo começa em não perder, depois em ganhar jogos, melhorar desempenho, entrosar time, ganhar confiança e, aí sim, apresentar um grande futebol.

O Flamengo está tentando outra coisa.

O time não tem cara, não tem confiança, não está entrosado. Mas toda hora o torcedor e a mídia estão procurando no Flamengo um espetáculo. E o time, bobo, cai nessa e tenta dar.

Não darão! Não agora.

Bola no Ronaldinho! Ele não consegue dar um passe de 3 metros sem olhar pro outro lado, dar uma ginga ou tentar um drible.

O Thiago Neves quer enfiar a bola de 3 dedos toda hora. Assim como os menos dotados de técnica também se sentem no dever de tentar jogar bonito.

Não acho absurdo. Até entendo, é isso que cobram deles. Mas existem etapas, e este time quer queimar algumas delas.

O Ronaldinho, sabemos, não é um cara que tem personalidade pra gritar, pedir a bola em jogo dificil, etc. Não significa que ele NUNCA tenha feito, mas não é o NORMAL dele fazer.

Ele é um cara que chega, se adapta, CRESCE dentro do grupo e se torna o craque do time. Toda vez que foi chamado pra SER o craque, ele afinou.

E o que fez o Luxemburgo? Deu o cargo de capitão do time pro cara. Ali, meu amigo, as coisas podem ter começado errado.

Entendo que ele fez o mesmo que o Felipão no Palmeiras. Pra ajudar o cara na confiança, deu um extra. Pode dar certo, mas diferente do Kleber, que aparece muito e joga pouco, o Ronaldinho joga muito mas aparece pouco.

O Flamengo precisa respeitar as etapas, e não me refiro ao técnico. Me refiro a postura do time.

Eles não estão de corpo mole, pelo contrário, estão tentando de tudo! Mas estão partindo do principio que o Ronaldinho será brilhante todo jogo, que o Thiago vá meter uma bola pro Deivid todo jogo e que o centroavante vá fazer 2 por partida.

Não é bem assim. É um começo.

Primeiro acerta atrás. Depois ganha, entrosa, ajeita, ganha confiança e aí, naturalmente, o Flamengo passa a dar show com o time que tem.

O show não vem antes do ensaio. Esquece.

abs,
RicaPerrone