Home » Futebol » Clubes » Corinthians » A mesma praça, o mesmo banco…

A mesma praça, o mesmo banco…

Não existe nada mais chato do que discutir se vão entregar jogo ou não no fim do ano. Mentira, existe sim. É a mania de achar que tudo conspira contra ou a favor do seu time.  Porque mesmo que o torcedor não saiba, o time dele só é o centro do mundo pra ele. Não pro mundo.

E o Corinthians, hoje, foi beneficiado. Mas não foi o penalti que mudou o jogo. Os erros foram bem antes do penalti.

Se podem reclamar da “eliminação” do Cruzeiro, que parece ter acontecido hoje,  não acho que ela tenha que ser feita tanto em cima do pênalti.

Sinceramente, eu acho que não daria. Mas aos 40 do segundo tempo, a favor do time que tem rótulo do tal “apito amigo”, no mesmo estádio de 2005, a coisa aumenta.

O lance do pênalti não me parece ter sido pênalti. Mas dai a ser indiscutivel vai uma longa distância, pois se fosse fora da área quase todos dariam falta. Logo, por mais que as pessoas queiram aumentar as coisas, houve um tranco e é un lance discutivel.

O que me parece indiscutivel é que o Cruzeiro teve, no minimo, 4 chances bem interessantes de gol onde o bandeira deu impedimento e não aconteceu. Ali sim, onde o Cruzeiro era melhor no jogo, a coisa poderia ser diferente.

Estes pra mim foram os erros mais graves do jogo. So que aos 15 do primeiro tempo chama menos atenção.

Repito: Nao daria o penalti. Mas não acho um absurdo não. Achei na hora, como todos. Mas o replay por cima mostra um tranco de braço nas costas. Se foi forte ou não, não sei. Se fosse fora da área muitos dariam. Logo, não acho esse auê todo tão correto assim.

O Cruzeiro está fora da briga porque foi prejudicado contra SP e Corinthians? Talvez. Provavelmente, até.

O Corinthians tem culpa disso? Não.

Na partida em si, o Cruzeiro foi melhor. Merecia, na pior das hipoteses, empatar. O Corinthians não fez a partida que a torcida esperava, não agrediu o tanto que precisava pra quem decidia em casa. Mas, futebol é assim.

O juiz mudou o rumo do jogo, talvez, quando anulou os 3 ataques do Cruzeiro na cara do gol do Julio Cesar. Ali, talvez.

O penalti, mesmo que eu não tivesse marcado, não acho indiscutivel e nem “roubado”.

A sensação de revolta é a soma de ser onde foi, a favor de quem foi, no tempo que foi e contra quem foi.

Só isso. E insisto: Você acha que o futebol é armado e comprado? Interne-se. Pois só sendo muito doente pra ficar nervoso, vendo, torcendo e discutindo algo que você acredita ser manipulado.

Quando eu acreditar, eu paro no dia seguinte. Não é o caso.

abs,
RicaPerrone