Home » Futebol » A matéria da Placar

A matéria da Placar

logo_spfc-150x150Muita gente anda comentando, e com motivos, a matéria da Placar deste mes sobre o SPFC. Assinada pelo meu xará Ricardo Perrone, ela mostra algumas coisas “estranhas” no SPFC, outras claramente ruins. E questiona se o “império” não pode vir abaixo.

Acho exagero tanto o “império” quanto “vir abaixo”. Mas acho de extrema relevancia que isso venha a publico para que essa imagem MENTIROSA de clube perfeito e de pessoas 100% honestas não iluda mais o torcedor. Canso de dizer isso, ha seculos. E por dizer sou odiado por boa parte da torcida do SP. Mas, entre a verdade e meia duzia de elogios, fico com a verdade.

A Placar destaca 5 pontos que já falei aqui. Mas de forma mais investigativa, coisa que não sei fazer direito.

1- Guerra de Agentes

Fala sobre os empresarios e a base. Algo que por mais doente que seja o torcedor, ele precisa imaginar que se algum empresário entrou la e fez a festa, é porque alguem do SPFC deixou. Como também é bastante estranho o filho do Milton Cruz virar agente Fifa. Não que haja algo ilegal, mas… quando houver uma negociação entre ele e SPFC, vai ficar estranho.

Outra coisa que a matéria nem cita, mas que incomoda, é o fato do SPFC ter errado tanto nas contratações nos últimos anos. O time sempre contrata uns 5 ou 6 por ano, e quase nenhum deles consegue jogar. Alguns, absurdos, como Eder, lateral. Ha quem diga que parte deles são pra agradar empresários hoje e ter ajuda amanhã. Eu já não sei dizer se sim. Mas, que o Saavedra ajudou o Figger a trazer o Alex Silva de volta aos 45 do segundo tempo, isso não tenho duvida.

2- Efeito cascata

Essa parte eu acho meio exagero. Dizem que essa crise afeta o profissional, mas não é bem por ai. O time profissional ficou sem usar a base por anos e anos, e não é agora que o SP vai querer ser vitima de empresarios pra dizer que não dá sequencia a carreira de alguns deles.

Juvenal fala que quer um time “90% formado pela base”, o que é quase engraçado diante dos últimos anos do clube, onde raramente alguem sobe, e se sobe, não joga.

3- Falta de dinheiro

A matéria cita com ironia a arrogancia do SPFC ao debochar do Corinthians em 2009 por vender camisa por jogos. E agora, oferece igual aos patrocinadores.  Só mais um breve capitulo daquele papo antigo que sempre cito aqui: A diretoria atual é tão competente quanto arrogante. E isso gera esse tipo de comentário depois.

Fala da grana, que realmente anda faltando. O SPFC fatura alto com varios setores, mas também gasta. O Morumbi empatou em 2007, e foi o primeiro ano na HISTORIA do clube que ele não deu prejuizo. Mas, na entrevista, usam o Morumbi como “fonte de renda”, o que jamais foi verdade. Está se tornando agora, graças a visão do Julio Casares, que anda afastado do clube ultimamente, deixando nas mãos de profissionais não tão qualificados quanto ele.

A recusa de propostas fez o SPFC não vender ninguem nos últimos anos. Isso obviamente deixou o caixa vazio. Nas ultimas apresentações de contas ao conselho fiscal, o caixa era de 20 milhoes negativos. Mas, nao preocupa. Todos sabem que existem 3 ou 4 jogadores ali que a qualquer momento transformarão os 20 negativos em 40 positivos. Portanto, é questão de tempo.

4- Ataques ao comando

Esta parte cita o fato do Juvenal começar a ouvir criticas la dentro e também fala sobre uma acusação do Oscar ao Marco Aurelio Cunha. Este que, por discordar do presidente em algumas coisas, também foi “empurrado” pra vida politica. Juvenal, alias, nao ouve ninguem. Faz e desfaz sozinho, o que irrita o conselho e alguns diretores.

Tem seus 3 caras de confiança, e só. O resto é quase ignorado. Com os problemas internos não divulgados com força na mídia, Juvenal se mantém forte. Mas, já começa a ser questionado pela forma de conduzir. Inclusive contratando jogadores 100% por conta propria, as vezes.

5- Justiça em cima

A parte final da matéria diz que o SPFC coleciona processos de jogadores. Eles cobram direitos arena, participação do atleta nos valores obtidos pela entidade esportiva com a venda da transmissão ou retransmissão dos jogos em que ele atua, seja como titular, seja como reserva, ou seja, trata-se de uma cláusula contratual oriunda da própria lei.. Aloisio, Souza, Adriano, Amoroso, entre alguns outros, processam o clube.

Seria normal, acontece em todos. Não fosse a empáfia de dizer que “aqui, não”, aos quatro cantos.

No fim da matéria, uma resposta que demonstra bem o que chamo de “empáfia”.

Perguntaram ao Juvenal porque o Rodrigo Souto ganhava 200 no Santos e veio para o SPFC para ganhar menos, como Juvenal afirmou na pergunta anterior.

A resposta: “Porque somos elegantes”.

E assim o SPFC caminha em meio a acertos enormes da diretoria atual e erros grotescos de relacionamento.

Como sempre digo, o SPFC é um clube que faz o dep. de futebol funcionar 100%. E assim sendo, ninguém cobra o resto. Todos sabem que só ha fumaça onde o time não ganha, e o SPFC ganha ha 4 anos.

Não acredito no apocalipse sugerido pela matéria. Mas acredito sim que uma hora as vacas magras voltarão, pois foi isso que o futebol ensinou nos últimos 100 anos.

As coisas que os meninos da base contam, em off e alguns em entrevistas, é de assustar. Verdade ou mentira, ninguém combina pra mentir em off. Se diversos jogadores falam, e entre eles varios que estão la e não são do empresário inimigo do clube, é porque algo tem de errado, como aliás alertei ha anos, e questionaram minha “saopaulinidade.

O problema do SPFC, ao meu ver, é esse. A mania de grandeza do clube, fundado e mantido sempre por gente muito rica e de muita pose, faz com que não se aceite nada que seja ruim.

Uma vez o Pimenta me disse algo que assustou. Perguntei pra ele porque ele não dizia tudo aquilo que me contava fora do ar sobre as coisas erradas do clube. Ele me disse: “Porque no SPFC é muito pior você expor a sujeira do que sujar”.

E é o que sinto no clube ha 30 anos. A “honra” de ser o “melhor” é tamanha que preferem não consertar do que expor a encrenca. O que é lamentavel, ao meu ver.

Pessoas de otima capacidade, como Julio Casares e Marco Aurelio Cunha, estão afastadas. Participam menos do que participavam antes.

A oposição perdeu alguns de seus lideres. Um deles encontrei no Pacaembu ha 10 dias e me disse: “Parou com o site? Que bom. Nao faça nada por esses caras. Eu não vou nem mais ao clube”.

E isso me incomoda. Porque não tem que sair, tem que lutar contra. Mas, como é impossível vazar algo ruim lá de dentro, preferem saltar fora.

É o lado ruim de um clube gigante, cheio de qualidades e cheio de defeitos. Com a diferença de que os defeitos são “novidades” para quem le, enquanto os outros são um pouco mais claros e menos prepotentes ao expor uma administração amadora.

Como aliás, é a do SPFC e de todos no país. Não existe administração profissional no futebol brasileiro.

Pimenta, ex-presidente, conversou comigo pelo telefone ha uns 3 meses e me disse também estar pouco motivado para fazer algo para mudar. Disse ter cansado dessa coisa de “imagem de excelência obrigatoria”. Eu também cansei, ha tempos.

A gente só torce pra que os acertos permaneçam e que os erros não sejam encobertos por titulos. Vide Dualib, Marcelo Teixeira, Eurico e Mustafa.

abs,
RicaPerrone