Home » + Chamada » A “justiça” que não existe e nem deve existir

A “justiça” que não existe e nem deve existir

Sou curioso, adepto de que futebol é entretenimento e que isso está acima da idéia de disputa esportiva. Ou seja, o que é melhor pro público acima do que é melhor pra quem faz o evento.

Fui a favor dos pontos corridos até ele existir. Hoje entendo que ele é uma tragédia. Mas não vou me alongar nesse discurso que repito ano após ano. Desta vez, levantei algo curioso.

Você sabe e, concordando ou não, reconhece que o campeonato se decide nas rodadas finais de acordo com alguma “sorte” do time enfrentar outros de férias ou não. Eu considero isso uma injustiça mais absurda do que um juiz marcar um pênalti errado, afinal, erro é uma coisa, desnivelamento de condições é outra.

Durante o campeonato você tem que ter sorte. Precisa enfrentar os mesmos adversários em momentos diferentes. Então, você pode enfrentar o Santos quando em quinto ou quando lá em baixo em décimo quinto.  Isso pode não parecer importante, mas veja você:

Fiz o levantamento. Contra quem cada um dos 12 grandes jogou e onde eles estavam quando o enfrentaram.  Sabe qual foi o time que em média teve os adversários mais “fáceis”?  O Corinthians.

Sabe o que teve a tabela mais difícil?  O Vasco.

Posição média dos adversários de cada clube durante o campeonato.

Isso talvez não lhe diga nada. A mim, não descredenciando o título do Corinthians em nem 1%, parece um dado a ser considerado. Já que por exemplo o Vasco pode ser rebaixado domingo porque o Figueirense não enfrentou o mesmo Fluminense que ele.  Onde fica a tal “justiça” dos pontos corridos?

Porque é tão inaceitável que esse panorama seja corrigido num confronto direto e claro com iguais condições?

O Corinthians enfrentou 10 adversários no Z4. Foi o time que mais encontrou essa condição no campeonato.

O Vasco enfrentou 9 no G4. Foi o que mais encarou essa situação.

O Fluminense foi o time que menos enfrentou G4 e Z4. Esteve sempre pegando os adversários em situação média.  5 em cada zona.

Mas com esse levantamento indicando os dois extremos exatamente como na tabela, não é pra se repensar o tal conceito de “justiça”?

Lembrando que eu não considero que o campeonato tenha que ser justo.  Tem que ser épico, marcante, incrível e apaixonante.  Ou seja, não pode acabar com uma entrega ou com um time reserva decidindo.

abs,
RicaPerrone

Comentários