Home » Futebol » Botafogo » A “crise” no futebol carioca

A “crise” no futebol carioca

Dizem, e cheios de argumentos, que o “futebol carioca” anda em péssima fase. E dizem isso usando 2009 como referencia. Afinal, para a maioria, futebol é hoje, ontem e semana passada no máximo. Mas, se a gente parar pra analisar com calma, a coisa é discutivel.

Óbvio que os times do RJ foram os que mais resistiram ao profissionalismo e ao futebol 100% competição. É nítido que a forma de jogar, administrar e contratar se diferencia dos hoje poderosos do país. Mas, o gráfico não indica uma queda brusca, como muitos sugerem.

Vamos por partes. Primeiro, indiscutivel que nos ultimos anos os times grandes que menos cresceram estruturalmente foram os do RJ. Mas, como não acho justo dar ao “futebol mineiro” o rótulo das boas campanhas do Cruzeiro e nem as más do Galo, não cometerei a mesma injustiça com o Rio.

Futebol se analisa por clubes. E no caso dos cariocas, existe muito em comum, mas tambem muita coisa a ser analisada com mais calma.

O “futebol gaucho” é o que mais cresce no país. O mineiro depende do Cruzeiro há algum tempo, enquanto o Paulista sempre mantém 2 em cima e 2 em ma fase. As vezes, com 3 em boa situação. Mas é raro, já que o Palmeiras não ganha um grande titulo ha quase uma década e o Santos alterna momentos de um time comum com um gigante. O SPFC mantém e o Corinthians vai do céu ao inferno a cada 2 anos.

No Rio, as coisas seguem um padrão. Muita aposta na técnica e pouca estrutura. Aí, as vezes um deles consegue aparecer. Mantém a força das torcidas, que é absolutamente incomparavel. Mantem um nível ofensivo de jogo maior que os demais e o campeonato estadual de melhor forma de disputa do país. Mas, no Nacional, as coisas se complicam.

É justo dizer que o futebol carioca vai de mal a pior?

Não. Não é.

Ele vai mal, mas não “piora”.

O Fluminense andou na série C. De 2005 pra cá, venceu uma Copa do Brasil, foi vice de outra, chegou duas vezes entre os cinco do Brasileiro e chegou a uma final de Libertadores. A médio prazo, houve melhoras claras.

O Vasco era muito forte até 2000.  Em 2006 fez um Brasileiro razoável, chegou 3 vezes entre os 3 primeiros da Copa do Brasil e caiu. Mas, caiu com uma troca no poder ha muito tempo esperada.  Então, se em campo houve queda, fora dele o Vasco fez o que todos tanto esperavam. A tendencia é melhorar.

O Botafogo é outro caso complicado. Sem conquistas ha muito tempo, venceu um carioca, chegou a 3 finais, disputou em bom nivel um Brasileirão e uma Sulamericana. Sua administração ainda é amadora, mas melhorou muito do que era ha 10 anos por exemplo. Hoje, vive momento ruim. Mas, conseguiu um belo estádio, diminuir muito as crises com salarios e tem tido times mais competitivos do que antes.

E o Flamengo é o mais forte. Fez alguns brasileiros bons, venceu Copa do Brasil, 3 cariocas seguidos e foi a duas Libertadores, ambas perdidas por um jogo ruim.

Então, vejamos com calma. O futebol do Rio de Janeiro está mal sim, é indiscutível. Mas houve melhoras nos últimos anos, e não pioras, como alguns insinuam.

Eu me irrito quando vejo o Flu chegar na final da Libertadores e centenas de elogios a “nova era”, ao “novo formato”, ao “belo trabalho”, etc. Depois, ele vive um ano ruim e se torna um péssimo trabalho. Mas, o trabalho era o mesmo. E porque motivo eu devo dar mais credibilidade a avaliação atual do que a do momento bom? Eram os mesmos…

O “futebol carioca”  precisa melhorar em muitos aspectos. Mas não é verdade que ele piora a cada ano. Talvez ele não suba no ritmo dos gaúchos e alguns paulistas. Mas tem melhorado. Ha 10 anos, Flamengo, Fluminense e Botafogo brigavam pra não cair, não tinham como pagar salarios, nao disputavam Libertadores e nem chegavam na Copa do Brasil. Hoje a coisa está diferente, pois ha alguns anos tem tido carioca na Libertadores e entre os primeiros do Brasileiro.

Lideres cariocas, publicos altos, jogadores de alto nivel e menos escandalos administrativos.

Tá indo bem? Não, repito!

Mas, não é verdade que está parado no tempo e nem piorando.

Apenas evolui com mais lentidão que os demais.

abs,
RicaPerrone