Home » Futebol » 74 anos de glórias

74 anos de glórias

spfc_optEm 16 de dezembro de 1935 era fundado, de forma definitiva, o São Paulo Futebol Clube. Desde então, 15 milhões de pessoas passaram a fazer parte desta linda história de conquistas e ousadia.

Dono do que foi o maior estádio particular do mundo por muitos anos, dono de 3 mundiais, coisa que muito gigante Europeu não tem. Dono de um CT para jovens absolutamente incrível, de outro CT para o time principal que não deve quase nada aos Europeus. Dono de titulos e mais titulos, dono de uma filosofia cada vez mais copiada pelos seus rivais.

Eis o Tricolor, aos 74 anos, o clube mais vitorioso do país.

Bem verdade que quando fazemos essa afirmação, de que mesmo jovem é o que mais venceu, não significa dizer que poderia ser ainda mais vencedor. Afinal, antes de 1935 não havia nenhum brasileirão ou Copa do Brasil pra se ganhar.  Apenas estaduais.

De qualquer forma,  é o clube mais competente do país, isso não resta duvidas.

Passei 31 anos da minha vida dentro daquele lugar.  Aprendi a falar numa escolinha dentro do clube, cujo uniforme era a camisa do SPFC.

Pratiquei todos os esportes que existem dentro daquele clube.

Conheci e apertei a mão de cada presidente.

Minha família é sócia e ligada ao clube desde sua fundação.

Meu avô, palmeirense, jogou cimento pra construir o Morumbi.

Meu outro avô era um doente fanático que foi ao estádio quase morrendo para ver o Tricolor pela milésima vez.

Minha mãe dançou a valsa de 15 anos dela com Laudo Natel, dentro do clube.

Meu tio é um dos lideres da oposição.

E outros tantos amigos da família de infancia são da atual situação.

Aprendi a nadar naquelas piscinas, aprendi a correr de briga no estádio pra dentro daquele clube. Aprendi a respeitar adversários na medida em que era comum socios usarem camisas de outros clubes.

Aprendi a amar este clube dia após dia, vendo treino, jogo, viajando, indo com meu pai a quase todos os eventos do clube.

Mais velho, fiz parte de torcida organizada.

Apanhei, corri, até crescer e perceber que eu era sãopaulino e não um gladiador. E notar que não tinha idade e nem tamanho pra estar no meio deles.

Assisti a todas as decisões do SPFC nos últimos 30 anos de dentro do estádio. Não faltei em nenhuma.

Assisti mais de 650 jogos no Morumbi, sendo mais de 600 na arquibancada.

Conheci quase todos os jogadores que lá estiveram.

Joguei volei com Rogério Ceni, no clube, quando ainda era um desconhecido reserva.

Apertei a mão do Careca no dia de SP x Guarani, em 86.

Fiz fisioterapia com o Cafu, Leonardo, Zetti e cia.

Chorei naquele estádio a derrota pro Vasco, pro Corinthians e tantas outras.

E chorei de alegria diversas vezes, inclusive em 92, que considero a noite mais feliz da minha vida.

Vi muita gente de bem fazer algo pelo SPFC.

Vi, também, muita gente ruim tentar roubar o SPFC.

Muitos conseguiram. Outros, até hoje, tentam ou conseguem.

Outros tantos, bem intencionados, se afastaram diante da dificuldade de se fazer algo contra.

No SPFC, como em qualquer clube do mundo.

Fiz site pra sãopaulino por 3 anos. Rádio por 5.

Conheço aquele clube e aquela gente como poucos tiveram oportunidade.

E garanto: É um clube especial.

Cheio de problemas, cheio de defeitos, cheio de gente cafajeste.

Mas, cheio de titulos, cheio de memorias imortais, cheio de idolos, cheio de alegrias e cheio de gente de bem.

Sua torcida cresceu, e até hoje não percebeu o quanto poderia ajudar no dia-a-dia do clube. Mas, um dia perceberá.

E quando isso acontecer, somado o clube mais estruturado a uma torcida presente e apaixonada, o SPFC será ainda mais forte.

Hoje o Tricolor faz 74 anos, num momento onde infelizmente não concordo com o que vejo por lá.

O que não muda em 1% meu amor pelo clube, apenas diminui minha euforia.

Mas passam presidentes, dirigentes, jogadores e o clube fica. Amanhã, melhor ou pior, continuará sendo o SPFC.

Gigante cuja grandeza não está apenas nos titulos conquistados. Eles também são relativos. Quando na fila, não deixou de ser gigante.

Quando em grande fase, não se torna maior que ninguém.

Parabens, Tricolor!

Que venham mais centenas de aniversários, títulos e obras inspiradoras para o futebol brasileiro.

Te amo! Pra sempre, mesmo que você me irrite. rsss

abs,
RicaPerrone