Home » Futebol » Clubes » Corinthians » Flamengo x Corinthians – Preview

Flamengo x Corinthians – Preview

Casa cheia, torneio importante, estrelas dos dois lados, o país parado pra assistir. Quem passa de fase na Libertadores? O “calmo” Corinthians ou o turbulento Flamengo?

Se torcida faz diferença, neste jogo dá empate.
Se existe mística, neste jogo dá empate.
Se existem times que adoram vencer jogos épicos, dá empate.

Flamengo e Corinthians são parecidos. Os times “do povo”, de pouca organização, de sofrimento constante, de vitórias improváveis e derrotas absurdas.

É dificil analisar o Flamengo, pois mudou o treinador e pode mudar a postura. Assim sendo, não há precedentes para analisá-lo se não for pelo time do Andrade.

O Corinthians segue uma linha, que pode alternar um ou outro jogador, uma posição em campo, mas a característica principal do time se mantém.

E o interessante é que há um conflito gigantesco na forma dos dois jogarem, que pode definir a história no Maracanã.

Postura – A vantagem alvi-negra

Se o Flamengo tem uma característica ruim na temporada, ela é a de devolver a bola pro rival o tempo todo, queimando lances com uma tentativa desesperada de achar logo o gol.

Se o Corinthians tem uma característica desde a chegada do Mano, é a falta do bico. O time prende a bola, não devolve a toa, consegue cadenciar o jogo e evitar sofrer contra-golpes.

Este choque de filosofias, se mantido, dá larga vantagem ao Corinthians no confronto.

Mas, o Rogério nem chegou e já parece ter “povoado” o meio campo, protegendo o time e evitando esta posse do Corinthians. O que pode resolver uma parte, mas, sem meias, não resolve a outra.

Você toma a bola. Mas terá que tentar a ligação direta, e aí, ela volta.

Esta é, pra mim, a maior vantagem do Corinthians e o pior inimigo do Flamengo no jogo.

Bola na área – A esperança rubro-negra

Com dois laterais rápidos e que adoram ir ao fundo, o Flamengo tem 2 centroavantes na área para fazer o gol. Esta é a jogada óbvia do time, já que com o desenho tático do coletivo do Rogério é exatamente isso. Um volante de cada lado, cobrindo alas, e um fixo na frente da zaga.

Isso nos leva a imaginar que a jogada será por ali. O que também nos leva a imaginar que o Corinthians terá dificuldades de entrar na zaga do Flamengo pelo meio, e se tentar pelas alas, pode abrir espaço para as subidas de Léo e Juan.

Conhecendo a Libertadores, nenhum dos dois vai abrir muito, o que deve dar vantagem ao Flamengo nas chances isoladas de gol.

As possibilidades do Timão

Este time abaixo é o que DEVE ser usado. Simples, sem muita firula, com 2 detalhes que um desenho não mostra.

1- Jucilei e Elias alternam na direita as investidas ao ataque. E o Danilo, que é um meia voluntarioso, ajuda o Roberto Carlos a subir com segurança.

2- Dentinho não tem “lado”. Ele cai para os dois, sempre rondando o Ronaldo.

Num segundo desenho, é o máximo que o Corinthians se posta a frente num jogo importante. Perdendo, precisando ganhar, o time deve ser este.

Com esta formação, onde o Elias se adianta e o Danilo faz as vezes do Douglas, o time praticamente repete o que fazia em 2009. Funciona, acelera o jogo, mas deixa mais aberto. Só usado, atualmente, em casos de necessidade. O que não deve acontecer no primeiro jogo.

As possibilidades do Mengão

Se o Corinthians tem uma “cara”, o Flamengo tenta mudar a dele. No coletivo de hoje, segunda-feira, o novo treinador fez isso:


E “isso” é simples de explicar. Maldonado e Willians cobrem Juan e Leo, enquanto o Romulo fica preso na frente da zaga. Assim, em tese, o time fica mais seguro. E na falta de tempo pra treinar, aposta nas subidas dos alas e na cabeça do Imperador.

É uma idéia básica bastante aceitável pra quem pega um time zoneado e sem nenhum padrão de jogo. Com esta formação, se começa um duelo tático. Se tomar o gol, pode mexer porque tem peças.

Andrade mexia assim:


Seria muita petulancia minha achar que posso saber como mexerá o Rogério, que fará sua estréia. Mas, com o Andrade isso era quase rotina. O Willians cobria a direita, o Pacheco (Michel) caia pela esquerda, Leo subia e o Pet vinha buscar mais centralizado.

Isso, normalmente, causava gols adversários.

Detalhes

Se o Flamengo tem o jogo aéreo forte, o Corinthians não. A bola chega quase sempre pelo chão, enquanto o Mengão busca quase sempre a bola alta.


A defesa do Flamengo sofre muitos gols de bolas cruzadas, e o Dentinho costuma fazer isso muito bem, pelo chão, idem pro Roberto Carlos.


Roberto Carlos e Danilo serão colocados em cima do Léo. Pode apostar que o Mano não é burro. Vai forçar o jogo ali pra prender a jogada pela direita do Flamengo, já que o Léo vive grande fase, Juan nem tanto.


A entrada do Romulo tem outro detalhe. Quando alçada pelo alto, o Corinthians tem Danilo pra disputar pelo alto. Maldonado e Williams não são altos. Romulo tem 1,86m, e talvez isso seja um fator importante para sua escalação.


O Corinthians tende a “capengar” pela esquerda ofensivamente. O Flamengo é mais equilibrado neste sentido, porém, o Mano vai forçar o recuo do Léo. Contra isso, o Fla tem Willians.


Enfim

Jogo de gigantes, de alto nível emocional. O time que for mais tranquilo deve levar vantagem, principalmente porque os dois jogos envolvem ENORME pressão de torcida.  Naturalmente o Flamengo vive um momento muito mais tenso do que o Corinthians.

Os jogadores alvi-negros são, inclusive, mais experientes em alguns casos. Iarley, RC. Ronaldo, Edu e Danilo não devem sentir o peso do jogo.  Michael, Pacheco, Romulo, Willians e David podem sentir. Neste sentido, o Corinthians leva vantagem.

Mas, como todo bom clássico, a palavra “favorito” não cabe.

Apenas a certeza de um jogo épico, ou melhor, dois.

O Maraca vai tremer!!!!

abs,
RicaPerrone